Lançamento: “Para um léxico dos usos”

Dia 21 de setembro de 2016, lançamento de Para um léxico dos usos de Stephen Wright e conversa com o autor, que esteve no Brasil para o colóquio Michel de Certeau (facebook.com/event) na FFLCH – USP. Editado por Edições Aurora / Publication Studio São Paulo com tradução de Julia Ruiz Di Giovanni.

“Os ideólogos do mundo da arte falam em ‘participação’, geralmente turbinada com adjetivos como ‘livre’ e ‘emancipada’. Falamos livremente de ‘amar a arte’, mas ‘usar a arte’ parece filistinismo – o que certamente diz algo sobre os persistentes valores aristocráticos que sustentam o ethos ostensivamente democrático da arte contemporânea. Talvez parte da razão para o desconforto do mundo da arte com o uso, seja o fato que é uma categoria eminentemente pouco romântica. Não tem nada dos ares revoltos de ‘apropriação’, ‘piratear’, ‘détournement’ e outras travessuras semelhantes que tanto estão na moda nos círculos artemundanos. Em última instância pode ser um termo melhor para nomear a lógica subjacente a essas operações, mas permanece essencialmente diferente delas. Porque é radicalmente imperformativo. Desempenhar o uso seria espetacularizá-lo, fazer dele um evento – quer dizer, negá-lo, transformá-lo em outra coisa. Aqui a distinção entre o usuário e o espectador é claramente marcada: o espectador está para o espetáculo assim como o usuário está para… o usual.”

Confira aqui trechos do livro: https://issuu.com/…/docs/para_um_lexico_dos_usos_stephenwrig

+facebook/event